quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011





Vai chegar um momento em que seu passado parecerá uma eternidade. Vai chegar um momento onde seu futuro parecerá um buraco negro. Mas vai chegar um momento onde você não vai poder esperar pela eternidade e onde buracos negros terão de ser apenas sombras.. por que no agora não há tempo para isso.. não há tempo para perder. Então não importa onde se perdeu.. essa é a hora de voltar para superfície e enfim se entregar ao verbo viver..


//Olivroquenaotinhanome;

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011


Rendido estou àquilo que não posso vencer. Não caido de joelhos, pois ainda tenho em mim tudo aquilo que acredito.

//Olivroquenaotinhanome;

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011





A calma desce sobre você. O tempo passa sem que você note. Naquele instante você se sente em paz. O estado de paz não é permanente. Acontece em momentos. Sempre escapando. Vai embora antes mesmo de sabermos que estava lá. 


//Olivroquenaotinhanome; Greys.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011


Nem sempre é possivel, mas as vezes com algumas palavras você pode salvar o mundo. Não o mundo inteiro, mas o mundo de alguém, alguém que é especial para você.


//Olivroquenaotinhanome;

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Momentos raros.





Existem coisas que fazem o tempo parar.. olhares, sorrisos, abraços.... Mas existe uma coisa mais poderosa do que todas essas. Quando você se olha de dentro pra fora, do fundo da alma pro raso.. nesse instante você para o tempo de todo o mundo. Nesse instante algo magico te toca e você volta a acreditar que ainda é possível fazer qualquer coisa.


//Olivroquenaotinhanome;

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011



Qualquer que tenha sido seu erro, permita-se. Perdoe-se. Ignore as leias da gravidade e levante-se. O mundo não te espera.         

segunda-feira, 28 de novembro de 2011


Eu serei seu heroi, montarei em um cavalo branco, serei seu principe e te salvarei desses dias crueis ... mas preciso que você queira, preciso que queira ser salva.

//Olivroquenaotinhanome;


amar, e amar mais ainda, mesmo quando estivermos doendo, ainda sim amar, pois a recompensa do amor é amar.


//Olivroquenaotinhanome;

quarta-feira, 23 de novembro de 2011






As vezes o que as pessoas procuram não é o melhor não é o certo, é simplismente o que elas precisam naquele momento.


//Olivroquenaotinhanome

segunda-feira, 14 de novembro de 2011





O amor é a luz conjunta do mundo.


/Olivroquenaotinhanome;




Mas será que algum homem já viveu assim? Tão livre e tão preso, tão certo e incerto, tão quente e tão frio, tão dentro e tão fora,  tão cheio de vida mas sem ação, tão cheio de estrelas no céu que se sentiu vazio, tão cheio de paz que sentiu amor, tão cheio de tudo que não sentiu mais nada.


//Olivroquenaotinhanome;

terça-feira, 8 de novembro de 2011


Não era tão simples quanto parecia ser... mas era aquilo que devia acontecer. Um pouco de sal, talvez uns meses.. e tudo ficaria bem. Ainda que não estivesse, ficaria.

//Olivroquenaotinhanome;

domingo, 6 de novembro de 2011







E Chorou, nao por aquilo que queria que fosse, mas pelo passado, por aquilo tudo ainda estar presente.

//Olivroquenaotinhanome;

domingo, 30 de outubro de 2011



Ainda desesperava-se, queria gritar, chorar, pular, dar socos e ponta pés, mas só conseguia ficar sentado, olhando se pateticamente com desprezo, piedade ou até mesmo com um sorriso bobo.

//Olivroquenaotinhanome;




O poeta nunca mais escreveu, nunca mais chorou, nunca mais sorriu, nunca mais amou. Mas mesmo que quase sem vida, seria ele aquela pessoa que no meio da destruição, ainda que chorando, levantaria para buscar o novo amanhecer.


//Olivroquenaotinhanome;

quinta-feira, 13 de outubro de 2011






A vida segue rapida e compassada como os segundos que rodam o relogio. Eles não esperam, não atrasam, não voltam, apenas seguem em frente, firmes como a figura de um homem na historia e frageis como os corações que os rodeiam.

//Olivroquenaotinhanome

terça-feira, 27 de setembro de 2011


E o tempo passou, frio e calado, quente, salgado e mudo. Irremediável, irreversível, molhado e triste.


//Olivroquenaotinhanome;
Sempre tenho vozes na minha cabeça... Elas ficam dançando, colorindo, cantando.. tentando tomar conta de mim que sou personagem principal.
Mas hoje to tao sozinho.. to sem voz.. to tao sem mim.


//Olivroquenaotinhanome;

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Ganhei o medo de quem sabe e perdi a liberdade de viver sem saber.



Eu gostava de não saber, de não ter certeza de nada... até que um dia eu soube, eu tive a certeza.. Por um instante essa foi a melhor coisa que aconteceu em minha vida... por outro lado desaprendi a grande magia do não saber.. Ganhei o medo de quem sabe e perdi a liberdade de viver sem saber.


//Olivroquenaotinhanome

segunda-feira, 29 de agosto de 2011


Se você quer sentido, vá ler um dicionário. Não faço questão alguma de fazer sentido.


//Olivroquenaotinhanome

As vezes desistir nao é sinonimo de fraqueza, mas sim de coragem.. só os fortes sabem abrir mão quando é preciso.

//Olivroquenaotinhanome

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

As vezes o peso da mudança é insuportavel. Outras vezes é leve, suave e prazeroso. Isso por que cada coisa nessa vida tem seu preço.



//Olivroquenaotinhanome

segunda-feira, 22 de agosto de 2011


Nunca é uma palavra que nao deve ser usada, é isso que nos dizem.. mas quem nos diz isso já sentiu alguma vez a vastidao do nunca?
A brutalidade de sentir a esperança do para sempre sendo quebrada?
O para sempre se transformando em um mero nunca, com outra simples palavra; acabou.


//Olivroquenaotinhanome

As palavras depois de lidas varias vezes perdem o sentido.


//Olivroquenaotinhanome

E todos o chamaram de louco.. mas na verdade ele só queria provar ao mundo que nem tudo precisa ser dito para ser entendido, que as vezes o silencio diz mais que qualquer palavra e que um sorriso pode valer mais que qualquer fortuna.


//Olivroquenaotinhanome

Nós ainda não aprendemos que o importante dessa vida não é ganhar ou perder, não é o começo nem o fim, mas sim o durante, o como se vive o agora, o que se faz com o tempo que nos é concebido.


//Olivroquenaotinhanome

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Nao foi golpe, nao foi corte, é um rasgo.


Isso tudo nao foi uma coisa tipo golpe de espada que atravessa o coraçao e simplismente te mata. Foi mais subjetivo, foi como se meu coracao virasse uma folha de papel muito fragil e o meu sentimento fosse me rasgando. Nao foi golpe, nao foi corte, é um rasgo.



//Olivroquenaotinhanome;C.honda

terça-feira, 9 de agosto de 2011




Já não eram as palavras que o assombravam, era a falta de efeito que elas traziam..


//Olivroquenaotinhanome

quarta-feira, 3 de agosto de 2011





Quando uma parte muito grande de voce é tirada, você fica perdido, sem saber o que fazer.



//Olivroquenaotinhanome

sábado, 30 de julho de 2011

this day is not today

Coração é algo pra deixar as pessoas fortes... ele não para de bater, mesmo quando isso é tudo que você mais deseja.. Ele te obriga a seguir, mesmo sem ter por que seguir.. e em algum momento ele para de doer, e como num passe de magica voce está novo.




//Olivroquenaotinhanome

sexta-feira, 29 de julho de 2011


O tempo do agora nos pertence.. o tempo de ontem nao mais, e o futuro nunca pertencerá.. é no agora que vivemos e é por este momento que devemos viver.

//olivroquenaotinhanome

quarta-feira, 20 de julho de 2011


Estamos todos caminhando numa estrada onde não se vê o fim
Ela pode ser curta como um instante
Ou ser eterna como a própria eternidade.
Ela pode ser pura realidade ilustrada
Realidade emprestada ou somente um pedaço do quase nada do que restar.

Nessa estrada existe um sentimento que só vive se o ingrato ciúme deixar
Uma bolha de sabão lançada do meio do infinito
Chocando-se com o louvor de todos os sentimentos
Um coração batendo é um mal preciso para o equilíbrio do universo.
Uma ordem e desordem confusa, uma indiferença vinda das sombras difusa das palavras
Uma confusão eterna.
A verdade sem sentido de quem mente.
Um clarão vindo das dolorosas sobras de um coração que semeia amor
Labaredas vindas do sopro de um dragão
Um feito desfeito de luz
A dor que semeia paz.
O sangue que corre sem dó
O silencio que respira sem esperanças e reduz o tudo ao nada numa lembrança quebrada e sem piedade.
Um suspiro de saudade eclode quebrando todas as vidraças
reduzindo friamente e sem piedade o que antes relutava para ser uma brisa quente e suave
Num distúrbio quase demente dos que insistem em jurar para sempre reside uma lembrança friamente gravada como um aço penetrante na alma.
Um amor jurado e gravado para sempre.


//Olivroquenaotinhanome

terça-feira, 19 de julho de 2011

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Uma alma quebrada
tentando fugir
não quer mais ser inteira,
não quer mais se unir.

Uma alma que agora
são uma e meia.
Meia que era antes uma
e uma que agora são duas meias.

Um único coração
e uma única certeza,
lutarão até a morte
para se tornarem inteiras.

Mas que coisa besta,
que loucura insã,
se se unirem novamente
para sempre viverão,
com amor e com a ternura
de um mesmo coração.

//Olivroquenaotinhanome

domingo, 17 de julho de 2011


Toda esperança tem o poder de levantar ou destruir um homem.

//Olivroquenaotinhanome


É no silencio onde todas as palavras se escondem, onde tudo começa, onde nascem os sentimentos e onde morremos em primeira instância.

//Olivroquenaotinhanome

segunda-feira, 4 de julho de 2011





Seria fraqueza se desistisse e loucura se continuasse.. Já dizia o poeta: É melhor ser louco que ser fraco.


//Olivroquenaotinhanome

quarta-feira, 29 de junho de 2011

terça-feira, 21 de junho de 2011


De joelhos, caido, no fim de alguma avenida
ela surgiu e estendeu-me a mão.
Aquele toque, o unico toque, foi meu martirio final.
Durante anos eu havia lutado contra meu coração, e agora eu estava salvo.
Salvo pelo meu maior inimigo, a luz havia tocado meu coração, era melhor morrer do que deixar de amar.

//Olivroquenaotinhanome


sábado, 14 de maio de 2011


Que não haja explicações no âmago dos sentimentos loucos e fascinantes.



//Olivroquenaotinhanome;                      8.m <4

terça-feira, 26 de abril de 2011


Os sentimentos, a complexidade, a exaustidão de uma busca finitamente infinita, ou infinitamente finita, não dá pra saber, é uma coisa extremamente individual, é definida por até onde você quer ir e por qual preço que está disposto a pagar.
Uns lutam por seus sonhos até o fim, não importando quantas vezes tenham que cair e levantar-se novamente.
Outros caem e desistem por não saberem levantar.
Meu problema está no misterio daqueles que não sabem cair, não sabem levantar, mas caem e levantam como verdadeiros mestres.

sexta-feira, 11 de março de 2011



O difícil do amor não é fazer com que ele dure para sempre, mas sim fazer que cada dia seja um novo para sempre.




//Olivroquenaotinhanome;

terça-feira, 8 de março de 2011


Amor que é amor sofre e não descansa,
agita o coração e faz sorrir feito criança.
Um raio de sol vira o toque da mão
e aquece o corpo todo, palpitando o coração.
Faz nascer melodia, do arrepio no ouvido,
e termina na cama com dois corpos unidos.


//Olivroquenaotinhanome para B.

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Havia ainda um lugar onde nunca fora, as grandes muralhas sempre o impediram, mas ele não desistiu, lutou. Lutou por amor, venceu e enfim podê contemplar as maravilhas de seu coração.


//Olviroquenaotinhanome

domingo, 6 de fevereiro de 2011


Não me declaro perdido aos céus, nem a nenhum outro miserável, mas se há felicidade aqui, perdoa-me se a procuro em outro lugar. Não declararei que as estrelas estão mortas só por que não as vejo no céu, declararei com o que me resta de coragem meus próprios pensamentos e no ultimo minuto terei nos olhos e verei no horizonte a coragem do primeiro passo de uma grande jornada.


//Olivroquenaotinhanome

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Naquele instante o tempo parou. Sabia o tempo que um momento como aquele era raro, então parou, tornando cada segundo um instante de eternidade.


//Olivroquenaotinhanome

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011